LARANJO.png

BLOG

OFICIAL

perfil.png

Você pode entrar ou cadastrar uma conta no botão ao lado para interagir com os posts!

Em novo golpe, fraudadores usam QR Code do Pix em pagamento de falsos boletos e contas de consumo.

A popularização de pagamentos usando o QR Code via Pix — meio de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central (BC) — despertou o interesse de fraudadores que criaram dois golpes, especialmente no pagamento de contas de consumo.

Na prática, os cibercriminosos criam contas e faturas parecidas com a das empresas e enviam aos consumidores e aos clientes das fornecedoras de serviços.

De acordo com a empresa de cibersegurança Kaspersky, os fraudadores observaram que as empresas têm incentivado o pagamento das faturas usando o QR Code do Pix e estão se aproveitando disso.


Uma das fraudes identificadas pela empresa é voltada aos usuários domésticos.


A outra é focada em pequenas e médias empresas. Em comum, está a opção de pagamento via QR Code do Pix. Para não se tornar vítima, a única opção é ter atenção redobrada na identificação do CNPJ do recebedor.


A primeira fraude é bem conhecida e extremamente comum nesta época do ano: as famosas faturas/contas falsas. No exemplo identificado pela Kaspersky, os criminosos disfarçaram o golpe em uma conta de telefonia ou pacote de internet. A novidade foi a utilização do QR Code como opção de pagamento.


Um detalhe mostra que, para os cibercriminosos, a nova opção de pagamento tem a preferência, pois é oferecido um suposto desconto de 5%, se o cliente usar esse método de pagamento.


Na falsa cobrança, assim como ocorre com contas verdadeiras, o Pix é uma das alternativas de pagamento. O documento também contém código de barras e sua numeração.


Para tornar o golpe mais convincente, os criminosos ainda criaram uma técnica para disfarçar o e-mail real que realizou o envio da mensagem falsa. Na avaliação de Fabio Assolini, analista sênior da Kaspersky no Brasil, os golpistas atualizaram uma fraude que já era bastante difundida que é a do falso boleto:


—A fatura falsa já existe há muito tempo. Agora, a maioria das concessionárias e das empresas prestadoras de serviços de telefonia, internet, fornecedoras de águas e distribuidoras de energia enviam suas faturas por e-mail.


Mas os criminosos estão interceptando esses e-mails e simulando contas falsas. O documento é muito parecido. Em alguns casos que identificamos, têm até número do contrato ou da identificação do cliente. E eles estão com a opção para pagamento via Pix para o dinheiro entrar em uma conta do fraudador e não quitar o boleto — explica Assolini.

Segundo ele, neste caso, foram identificadas fraudes em faturas enviadas a empresas, mas a Kaspersky já monitora boletos que estão sendo enviados a consumidores residenciais.


Contratação de serviços

Já a segunda mensagem fraudulenta está disfarçada com uma oferta falsa que usa uma plataforma de streaming popular em uma suposta parceria com duas grandes redes de cinema.

A isca é um suposto plano trimestral para assistir a filmes em cartaz no conforto de casa por R$ 267,99 – e visa a atrair a atenção dos cinéfilos. Aqui, a única opção de pagamento é o QR Code do Pix.


— No primeiro esquema, o QR Code foi adicionado como alternativa, mas no segundo, o golpe foi criado apenas com ele. Isso mostra o interesse e a tendência do uso dessa tecnologia nas fraudes on-line como uma tendência para este ano. Me surpreendeu muito seu surgimento logo nos primeiros dias do ano, e isso só reforça o quanto esta prática deve se tornar popular no decorrer do tempo.

Além disso, a identificação é mais difícil, e o pagamento direto via QR Code é algo legítimo e não pode ser bloqueado como um site falso. Para evitar cair no golpe, as pessoas e as empresas precisam identificar os detalhes que indicam que a mensagem é falsa – ressalta Assolini.

Saiba como identificar o golpe:

· Atenção ao destinatário. Apenas na primeira fraude é usada uma máscara. No segundo caso, o endereço é genérico e não tem relação com as marcas citadas no golpe.

· No caso da fatura falsa, não há a informação do nome do cliente, apenas o código do assinante, que é um número que quase ninguém deve saber de cor.

· Além disso, a identificação do cliente é diferente. Existe um número na mensagem e outro na fatura

· Observe o código de barras também. Contas de consumo (gás, energia, telefonia) sempre começam com o número 8. Por se tratar de uma fatura falsa, o código de barra começa com o número da instituição financeiro na qual a fatura foi gerada.


· Para a suposta promoção de filmes e séries, é importante que a pessoa cheque a veracidade da promoção no site oficial das empresas. Se não houver nada, ainda é possível entrar em contato com eles pelos canais oficiais. Nunca use os contatos informados no e-mail, pois podem ser falsos também.


· Confirme os dados do destinatário antes de concluir o pagamento via Pix. Como em todos os esquemas fraudulentos, os criminosos usam nomes de laranjas para receber o dinheiro dos golpes.


· Apenas pagamentos legítimos mostrarão os nomes das empresas (razões sociais) corretos.


Fonte: Extra.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo