A fraude das "Contabilidades online"
11/09/2017


Artigo sobre as chamadas “Contabilidades online”, do estilo “faça você mesmo”, as quais prometem permitir que o próprio cliente desenvolva todos os serviços contábeis da empresa por mensalidades consideravelmente mais baixas.

O avanço tecnológico sempre foi um fenômeno que despertou a curiosidade no ser humano. Pensar até onde a ciência e a informática podem levar a nossa civilização é algo que desafia a imaginação de muitos entusiastas por tecnologia. Entretanto, existem também aquelas pessoas que se preocupam com esse desenvolvimento.

O medo de sermos substituídos por máquinas é algo tão antigo quanto a própria tecnologia da informação, basta olharmos para as obras de ficção científica e podemos perceber que desde o século XVIII já tínhamos autores confabulado sobre o momento no qual a tecnologia nos tornaria obsoletos.

Hoje, percebemos que, apesar de ainda não termos sido substituído por replicantes ou robôs, como diziam que aconteceria os autores de ficção científica do século passado, muitos mercados já estão sendo consumidos pela tecnologia. É estranho imaginar, mas graças a serviços de streaming de vídeos (como o Netflix, por exemplo), daqui a alguns anos teremos uma geração de jovens adultos que nunca sequer entraram em uma locadora de filmes para alugar um DVD (VHS então, muito menos). O transporte privado de passageiros, no mesmo viés, também evoluiu para o uso de aplicativos como Uber, 99, Cabify, dentre outros.

A tecnologia, aliada ao livre mercado, é uma ferramenta excelente para reduzir custos e tornar serviços e produtos mais modernos, as empresas mais competitivas e os clientes mais satisfeitos. Parece, portanto, natural que os mercados caminhem nessa direção. Algo semelhante parece estar acontecendo no setor contábil com as chamadas “Contabilidades online”, do estilo“faça você mesmo”, as quais prometem permitir que o próprio cliente desenvolva todos os serviços contábeis da empresa por mensalidades consideravelmente mais baixas do que os honorários cobrados pelos escritórios físicos.

Seria esse o Uber dos escritórios de contabilidade? Estaria a classe contábil em risco de ser substituída por esses sistemas modernos?

A resposta, caro leitor, é não. A maioria das tais “Contabilidade online” não passam de websites integrados a um sistema (na maior parte dos casos, bem primitivo, diga-se de passagem) que permite a geração de guias e, às vezes, demonstrativos financeiros muito rasos e superficiais. Não existe consultoria e nem assessoramento profissional de verdade, mas apenas a venda de uma falsa sensação de proteção contábil.

O próprio nome “contabilidade online” já é uma grande fraude, pois o que esses portais oferecem não é contabilidade, uma vez que não há escrituração contábil, elaboração de demonstrações ou mesmo o estudo organizado do patrimônio. O que eles oferecem é apenas um conjunto de aplicativos financeiros básicos, aplicados para a geração de relatórios vazios sem qualquer rigor técnico ou científico.

Obviamente, não nos referimos aqui aos escritórios sérios que utilizam a internet como ferramenta para prestar seus serviços contábeis.

 

É possível sim utilizar ferramentas tecnológicas e online para agilizar o trâmite de processos, o recebimento de documentos ou a entrega de informações. A tecnologia sempre esteve intimamente ligada ao trabalho do contador e isso não deve mudar.

Muitos contadores vendem seus serviços através da internet e utilizam ferramentas online para estreitar suas relações com os clientes de maneira excepcional. Com isso, se ganha tempo e se reduzem custos. Esse tipo de prática não só é legitima como deve ser inclusive incentivada para todos os profissionais.

A fraude está em vender ferramentas baratas de controle fiscal e tributário, onde o próprio cliente é responsável pela elaboração dos seus relatórios, e divulgá-las como serviços de contabilidade completos. Seja online ou presencial, a contabilidade só pode ser feita por contador ou técnico em contabilidade habilitado.

Guardadas as devidas proporções, disponibilizar ferramentas para que o cliente possa “elaborar a sua própria contabilidade” seria como se um médico desenvolvesse um website no qual o cliente pagasse R$ 49,90 por mês para prescrever os seus próprios remédios e gerar a sua própria receita. Um verdadeiro absurdo. Seja para as empresas ou para as pessoas físicas, a falta de orientação de um profissional pode gerar graves consequências.

Existem diversos processos contra startups que oferecem esse tipo de serviço, porém acredito que o ponto mais importante é mesmo o mercado. Muitos profissionais chegam a ficar receosos com a concorrência desse tipo de empresa, porém acredito que essa preocupação é descabida.

Definitivamente, as “Contabilidades online” do estilo “faça você mesmo” não são o Uber dos escritórios de contabilidade. Podem até possuir preços consideravelmente menores, mas sacrificando drasticamente a qualidade dos serviços. O mercado mesmo se preocupa em separar o joio do trigo. Resultado disso é a grande quantidade de reclamações sobre esses serviços em páginas de defesa do consumidor.

A verdadeira contabilidade online deve ser aquela praticada por um profissional da contabilidade devidamente habilitado e preparado, utilizando a internet apenas como uma ferramenta que facilite o estudo do patrimônio a geração de informações aos usuários. Esse sim é o futuro da contabilidade.

(*) André Charone Tavares Lopes é Contador, professor universitário, MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), sócio do escritório Belconta - Belém Contabilidade e do Portal Neo Ensino, autor de livros e dezenas de artigos na área contábil, empresarial e educacional, ganhador de prêmio acadêmico outorgado pelo CRCPA, consultor editorial da Revista Contadores Belém-Pará, membro da Associação Científica Internacional Neopatrimonialista - ACIN.

 

http://www.contabeis.com.br

Martello Contabilidade - Rua Emiliano Ramos, 439 - Centro - Lages, Santa Catarina

Receba nossas novidades por e-mail!